<$BlogRSDUrl$>

domingo, 31 de agosto de 2003

De volta às origens... 

Depois de uma temporada um bocado gay deste blog, em que até dos meus sentimentos falei (e a destinatária com certeza que recebeu a mensagem, apesar de não o dizer...), hoje decidi escrever sobre um assunto que tem povoado a minha mente nos últimos tempos.
A Rússia imperialista está de volta.
Ninguém tente sequer contrariar-me nesta minha opinião, até porque eu vou fundamentá-la. Vamos por partes:
1- Os emigrantes. Eles andam aí, são cada vez mais e apenas com o pretexto que querem mudar de vida, que querem melhorar as condições da sua família, querem trabalhar... Mas alguém acredita? São todos ex-agentes KGB e "agentas" também (ou vocês acreditam mesmo que elas vêm para cá só para a prostituição?) e autênticos colonizadores. Pois, pois, são ucranianos... O desmembramento da Rússia foi apenas fachada, aquilo são governos fantoche controlados pelo Governo Russo. E o Putin não é nada, os Comunistas andam por aí, todos conseguimos ver isso.
2- Roman Abrahamovic. Se para muitos este nome não diz nada, no mundo do futebol é já referido como o "Rei Midas", pois tornou-se dono do Chelsea, clube da Primier League Inglesa, e anda a reforçar a equipa londrina com excelentes jogadores com vista a dominar o futebol europeu e mundial. As dúvidas do controlo russo começam a dissipar-se, não é?
3- os submarinos. Esta é a prova final da tentativa do controlo russo. Sim, porque se o Kursk enganou muita gente, este submarino (que eles dizem que estava) desactivado só prova que até debaixo de água eles estão a tentar dominar-nos. Ninguém acredite que os marinheiros morreram... não é nada disso, eles estão lá em baixo a preparar-se para a invasão final! Ou alguém viu o Kursk a vir cá à tona? Ah, e não acredito que este venha à tona também, a não ser que os marinheiros não sejam bons o suficiente...
Cuidado com os russos...

sábado, 30 de agosto de 2003

Mágoa ou felicidade? 

Não sei bem como pôr tudo o que sinto num mísero post, ou numa folha de papel.
É tudo grande, avassalador, magnífico por um lado e aterrador por outro. Tudo isto sou eu, muito por tua causa também. Ou não serei realmente eu? Será que já me marcaste assim tanto?
A luta terminou.
O resultado? Cabe-me a mim saber e a ti descobrir.

Etiquetas:


Indignação 

Sou portista. Com tudo o que isso acarreta. Portanto, aqui vem esta transcrição do site http://www.abola.pt, dia 30/08/2003:
"Rui Costa brilhou na noite monegasca e afundou o F. C. Porto;
O caça-dragões;
Afinal, houve quatro sem cinco. Os portistas acabaram por ver a sua senda vitoriosa travada no Mónaco, muito por culpa de um português, de nome Rui Costa, ontem com a pele de São Jorge, o caça-dragões, vestida."
Comentários? Tristeza e vergonha. Acedam e vejam a capa do jornal...isso diz tudo.

Vale a pena? 

As pessoas passam umas pelas outras por salas, corredores, cafés, ruas, avenidas, estádios, e são muitas vezes perfeitas desconhecidas - "Porque ri aquela rapariga que já vimos 50 vezes e com quem nunca falamos decentemente? "E que desporto pratica aquele rapaz da nossa turma? Está ali com a mochila às costas...".
Mesmo amigos que temos (por vezes há anos incontáveis) muitas vezes têm facetas que nos surpreendem, chocam ou nos fazem ter toda uma nova perspectiva sobre aquela pessoa em particular.
Mas o mais interessante é conhecer pessoas sobre as quais já temos opinião formada... mas que não nos dizem nada e com quem não temos contacto habitual. Há autênticas caixas cheias de surpresas que nos aguardam, fazendo-nos rir, chorar, ver a vida com outros olhos e inevitavelmente o comentário: "Não te imaginava nada assim".
Sejam corajosos... Por mais que pareça que às vezes não vale a pena, "vale sempre a pena se a alma não é pequena".
Essas pessoas que passam por nós todos os dias mesmo debaixo do nosso nariz podem muitas vezes enriquecer-vos e marcar-vos inolvidavelmente - seja de forma positiva ou negativa, com alegrias ou tristezas, virtudes ou defeitos, amor ou ódio. Infelizmente, a opção mais negativa acontece também...

Etiquetas:


sexta-feira, 29 de agosto de 2003

Missões 

Hoje fui, na companhia da minha mãe, levar uns padres colombianos amigos a Lisboa. São colombianos, estiveram no Brasil, vieram para Portugal (onde estiveram 9 meses) e vão agora para Luanda.
Presto aqui a minha sincera e sentida homenagem a todos os missionários, de todo o Mundo, e aos leigos que tudo fazem para os ajudar.
Obrigado pelo vosso empenho, dedicação e fé... mas acima de tudo ao vosso espírito de sacrifício e vontade de ajudar o próximo.

Sim, porque aqui também se fala de coisas sérias.

terça-feira, 26 de agosto de 2003

Hoje fui às compras 

O fenómeno social de "ir às compras" intriga-me, confesso. Não gosto de ir ver lojas, montras, roupa, sapatos,... Por isso, quando vou às compras já tenho o que quero em mente e ninguém me demove do meu objectivo, utilizando apenas 10 minutos do tempo de quem vai comigo.
Hoje fui às compras. Fui com um elemento do sexo feminino, para terem ideia do sacrifício que foi. Milhares (exagero...) de lojas visitadas no Norteshopping, com imensa gente que em vez de aproveitar o sol esplendoroso preferiu encafuar-se num espaço fechado, e entrando em lojas que podem facilmente destruir a minha reputação se alguma vez se souber que lá estive.
No entanto, aguentei estoicamente até uma ida ao Continente, ajudando com as compras e levando mesmo o saquinho que também me pode prejudicar em termos sociais.
Terrível o facto de ter ido às compras, lindo o facto de ser cavalheiro e ajudar com as coisas que ela comprou (pois, é que eu não comprei rigorosamente nada) e assustador o facto de nem sequer ter recebido um "Obrigado Tiago" no final...
E esta, hein?

Novo look 

O meu blog era demasiadamente parecido com muitos outros, pois o template era muito pouco original, tendo sido adoptado quando ainda não percebia nada do html do mesmo.
Mudei-o a meu gosto, pois não estou aqui para agradar seja a quem for. E, sinceramente, gosto muito desta miscelânea de cores e da ideia de um pouco mais de negritude no meu blog.
Neste momento identifico-me com ele... mais nada.

quinta-feira, 21 de agosto de 2003

Tão longe e no entanto... tão longe! 

Há aquelas alturas na vida de um ser humano em que não sabemos o que fazemos e dizemos. As coisas saem simplesmente do nosso espírito, e nós limitamo-nos a comunicá-las ou a realizá-las, não tendo propriamente controlo sobre as nossas emoções.
As emoções regem a nossa vida, dizem alguns - eu passava bem sem algumas, acreditem.
A luta continua...

Etiquetas:


terça-feira, 19 de agosto de 2003

Nada 

Hoje não me apetece escrever nada que tenha lógica. Não tou com cabeça para pensar no que acontece no Mundo, ou no que tou a ler, ou na Superliga de futebol, ou seja no que for.
Não quero escrever nada com ironia, não quero escrever algo que tenha piada, não quero sequer ser eu próprio.
Hoje quero ser nada... Simplesmente nada, sendo que ser nada já implica ser alguma coisa.

Etiquetas:


domingo, 17 de agosto de 2003

Ler, ler e mais ler 

Quem me conhece minimamente sabe que gosto de ler. Ler tudo e mais alguma coisa, mas com uma natural predominância dos romances históricos.
Não sei porquê. Não sei mesmo porque gosto tanto de ler livros sobre o Rei Artur (lenda ou realidade?), sobre a História Celta e simples mitologia, a evolução do cristianismo e os Cavaleiros Templários... O gosto pela História foi-me incutido, sem dúvida, pelo meu pai, que adora História, monumentos e documentários que versem a História de Portugal - mas isso não explica tudo. Há algo dentro de mim que procura sempre mais, e que precisa sempre de ser alimentado com mais, e mais, e mais...
Logo, nada vos causará mais surpresa do que o facto de eu ter acabado de ler o livro "Homens na cozinha, mulheres no sofá", de Gaby Hauptmann , que me foi oferecido como prenda de aniversário. E devo confessar que gostei. Sempre pensei, antes de o ler, que seria a "Bíblia do Feminismo", ou o verdadeiro "Manifesto do Partido Feminista" - aliás o próprio título o sugere!
Mas não. É um livro leve, de fácil leitura, no qual podemos aprender com as situações (algumas delas engraçadíssimas) relatadas pela autora. É óbvia uma certa tendência feminista, mas... eu perdoo.
No fundo, a obra consiste num conjunto de situações e estórias que relatam o quotidiano e que estão escritas na primeira pessoa, num estilo directo, pessoal e subtilmente irónico.
Gostei muito das pequenas lições entre-capítulos, com textos provenientes de reflexões cuidadas e bem orquestradas.
Recomenda-se, quer a homens (machistas ou não), quer a mulheres (feministas ou não).

sexta-feira, 15 de agosto de 2003

Nacionalismos 

Há um assunto que me tem incomodado, e que até se reveste de alguma pertinência (estranho, neste blog, não é?)
Hoje vi, na nossa Bracara Augusta, um cartaz contra a Imigração e a apelar ao nacionalismo.
Eu não posso dizer que sou a favor de que se abram as fronteiras para todos os imigrantes, pois de facto penso que deve haver algum controlo sobre quem entra e sai do nosso cantinho à beira-mar plantado. Se isso não acontece, corremos o risco da proliferação da miséria, de bairros de lata, de imigrantes romenos nos semáforos e delinquência associada a todos estes factos.
No entanto, não posso calar a minha indignação contra afirmações como "é tudo um bando de pretos que vêem para cá para nos roubar", ou "os ucranianos estão a roubar-nos os empregos" e "O Hitler (!!) é que era corajoso, seguiu os seus ideiais até ao fim" - até parece que estamos na ante-câmara da Alemanha Nazi!
As pessoas estão neste País à procura de um ideal de vida, principalmente a melhoria das suas condições de vida, não sendo raros os imigrantes de Leste com cursos superiores a trabalhar... como "trolhas" !
E a discriminação racial, quer queiramos quer não, ainda existe neste País... Ou todos os "pretos" são maus, causam distúrbios e são racistas? Eu não sou a favor do racismo, longe de mim tal ideia, mas não acham que os descendentes de africanos têm mais razões para ser racistas que nós? Olhem para a História...
Claro que é complicado vislumbrar uma solução para a situação dos milhares de imigrantes ilegais no nosso País, mas, sinceramente, não queria ver um Le Pen a levar umas eleições a 2ª volta no nosso País, como aconteceu em França.
E, já agora, por falar em França, quem critica os "avec's" e os "camones" que saíram do nosso País à procura de melhores condições? Claro que sofreram imenso nos países de acolhimento - mas, se nos revoltamos contra essa situação, como acontece com quem tem emigrantes na família, também temos que pôr a mão na consciência neste momento, pois... "não faças ao outro o que não gostas que façam a ti".

Fogo 

Eu não percebo nada desta polémica toda à volta do País a arder. Anda toda a gente muito preocupada com o facto da floresta estar a desaparecer, de Lagos ter estado cercada pelo fogo, de não haver meios para combater os fogos.
Vamos lá a ver as coisas por outro lado: quem precisa de árvores para além dos madeireiros e de quem trabalha com madeiras para nos fazer os móveis que orgulhosamente apresentamos em nossas casas (sim, porque a árvore não arde toda, por baixo daquela camada queimada há madeira boa)? Quem precisa dos terrenos queimados sem contar com os magnatas da construção civil ou mesmo pessoas com interesses mesquinhos? Como se ocupariam os nossos reformados, como aquela velhinha de 76 anos que era incendiária já referenciada? E como trabalhariam os bombeiros, que no resto do ano andam apenas a salvar gatos que subiram aos telhados?
Quem precisa de floresta quando podemos ter cimento? E o que é um Verão sem incêndios?

Etiquetas:


quinta-feira, 14 de agosto de 2003

Música 

Eu sou muito tendencioso para falar de música. Rapaz calmo e sosegado, só ouço o que gosto e raramente sou influenciável.
O que se ouve nos bares do nosso Algarve é absolutamente horripilante. Começa a noite com músicas como aquela indiana terrível, que não percebo como se pode gostar, passando então para o hip-hop (AAAAAAARGHHHHH) e acabando com latinadas idiotas e martelinhos que parecem encomendados da carpintaria mais próxima.
Já sei que esse tipo de música está na moda (principalmente o hip-hop, que sobe incrivelmente de popularidade), e que não há maneira de evitar "porque são as músicas que se dançam" (argumento dado por todos).
Tenho dose de música do género que chegue pelo menos para um ano de saídas à noite para Sardinhas e Barbieris.
Que saudades (entre outras coisas) da minha música, dos meus belos cd's, da minha bela aparelhagem e do Musicmatch do computador...

Etiquetas:


Férias II 

Dormir no sofá, deitar todos os dias por volta das 6 da manhã, acordar sempre por volta da uma da tarde, comer sempre a mesma coisa ao almoço (pão com fiambre e queijo) e sair à noite... Dito desta forma, parece que as minhas férias foram uma seca, para além de repetitivas!
Mas não. Foram umas férias cheias de acção, romance, suspense, com algumas discussões idiotas (que grupo não as tem?), acidentes de viação mesmo em frente ao apartamento, jogos de monopólio nas horas de maior calor, calinadas várias... O post ficaria enorme se eu relatasse tudo o que se passou.
O meu pessoal comportou-se como eu tava à espera. Fiquei a conhecê-los melhor, e fiquei também com a certeza de que se morássemos juntos mais de duas semanas partíamos a loiça toda... :)
Meus amigos, estávamos todos a precisar de umas férias assim! E eu se calhar acima de todos, para compreender muita coisa e encarar algumas coisas na minha vida de outra forma. OBRIGADO Miguel, OBRIGADO Luís, OBRIGADO Miguel Quintas, OBRIGADO Pedro Quintas e OBRIGADO Rui.
Sim, tou de volta...

Etiquetas:


segunda-feira, 4 de agosto de 2003

Férias 

Pois é, caros e estimados leitores: aqui o cronista vai de férias na madrugada de segunda-feira. A vida é dura para quem vai para o Algarve durante 8 dias com mais cinco marmanjos: o Miguel, o Pedro, o Miguel "Poste" ,o Luís e o Rui. Falta apenas uma pessoa: o Rui Óscar, vulgarmente conhecido por "Preto". Todos temos pena que ele não vá connosco, mas é por motivos alheios à sua vontade e à nossa que ele não vai comparecer nestas férias do nosso "grupo". Esperemos que sejam umas férias agitadas, doidas, com maluqueira que baste e pouco (mas sempre algum) juízo, para além da sempre problemática confraternização 24 sobre 24 horas do dia.
Enfim...férias! Volto a escrever quando puder... Até lá, fiquem bem!

sexta-feira, 1 de agosto de 2003

E saíram as notas dos Exames Nacionais 

Pois é... Apesar do grande transtorno que causaram a todos os que já tinham férias marcadas devido à data de entrega destes resultados, eles saíram mesmo só dia 1 de Agosto.
Como eu compreendo todos aqueles que, como professores responsáveis por recurso ou presidentes do Conselho Directivo, têm que estar nas escolas mais tempo que os seus colegas do Ensino Básico, por exemplo... Tss tss, só dois meses de férias!
É uma vergonha!
E os pobres alunos que tinham as suas férias marcadas? Pois é, as férias são muito mais importantes que uns míseros exames nacionais que, possivelmente, só vão decidir a sua vida! Ainda hoje estava uma rapariga a queixar-se de que os seus pais desmarcaram as férias por causa desta situação... Pobre rapariga, vai ter que ir de férias para as Maldivas mais tarde... e tudo isso por causa de uns exames que nem sequer são importantes!
É a minha mais profunda opinião que todos deviam ir para as ruas protestar contra o Ministério da Educação, e porque não contra o Governo, pois já não há problemas suficientes em Portugal! Aliás, quem precisa de incêndios nas notícias quando temos estudantes e professores enraivecidos contra o Governo?

This page is powered by Blogger. Isn't yours?